Viagem pelo cerrado – Pousada Trilha Violeta

Saímos da Saborella e pegamos estrada rumo à Chapada dos Veadeiros. Já tinham nos informado de que melhor seria se ficássemos no distrito de São Jorge, a 35 km de Alto Paraíso. Metade da estrada entre as localidades é de terra e, como a maioria das atrações fica mais para o lado de São Jorge, se você por lá se hospeda evita um pouco de trânsito na poeira.

Enfim, chegamos a São Jorge já de noite e, apesar de ser terça-feira, praticamente todas as pousadas estavam lotadas. Ah, sim, por causa das férias? Um pouco. O que realmente lotava a cidadezinha era o VIII Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.

De toda forma, não sabíamos deste evento; fomos pegos totalmente desprevenidos. Demos sorte que, em nossas andanças, encontramos a Trilha Violeta, uma pousadinha bem bonitinha e confortável. Realmente, a dona da pousada condicionou nossa hospedagem ao fechamento de um pacote maior do que o que planejávamos, mas isto acabou sendo bom. Descansamos bastante e aproveitamos muito o período em que ficamos por lá.

Fica, enfim, a dica. São Jorge é lotada de pousadas e creio que muitas sejam excelentes. Mas se você estiver pensando em fazer uma reserva à distância e tiver a Trilha Violeta como opção, pode fazê-la sem susto que não será surpreendido. O café da manhã é bem gostoso, as camas são confortáveis, o banho é bom e o atendimento idem.

4 comentários sobre “Viagem pelo cerrado – Pousada Trilha Violeta”

  1. Antônio Carlos, peça à Fernanda para ligar diretamente para a pousada Trilha Violeta, tá? Lá eles te informarão os preços. Abraços e volte sempre ao nosso blog! Aqui temos muitas informações sobre a Chapada dos Veadeiros. Ela

  2. A minha amiga Fernanda quer passar o final de semana, dia 28 a 30/09/2912, em São. JORGE, precisa de uma pousada, pensei na Trilha Violeta, o meu fone é 61 93035722, encaminhe, por favor, o preco referente ao periodo citado. Agradeço. ..

  3. Pingback: Em Geral » 3º Festival Andando de Bem com a Vida

  4. Pingback: Em Geral » Frutos do cerrado brasileiro

Deixe uma resposta