O espinafre e os nutricionistas

Estou planejando um souflê de espinafre para o almoço e resolvi constar aqui, para quem talvez nunca tenha lido a respeito, que o consumo desta hortaliça é um pouco controversa. É que, apesar do espinafre ser rico em ferro, possui em sua composição um químico chamado ácido oxálico, que, em grande quantidade em um organismo, pode causar toxicidade e/ou deficiência nutricional.

O ácido oxálico (presente em vários alimentos, diga-se) é uma espécie de anti-nutriente, ou seja, ele prejudica a absorção do ferro e do cálcio contidos não só no próprio espinafre como nos alimentos consumidos juntamente com ele.

Li algumas opiniões de nutricionistas e, de qualquer forma,  parece-me que o espinafre não precisa ser abolido. Ele apenas não deve ser ingerido em excesso e, quando for parte de seu cardápio, deve ser  combinado  a alimentos ricos em vitamina C, que contribuem para a adequada disponibilidade e absorção do ferro pelo corpo.

Finalizando, descobri que o espinafre tem origem na Pérsia (hoje Irã) e, nos idos tempos, era usado para fins medicinais: como laxante e diurético. Legal, não?

1 comentário sobre “O espinafre e os nutricionistas”

  1. Pingback: Em Geral » Meu souflê de espinafre micou geral

Deixe uma resposta