Em Geral

Um blog sobre todas as coisas Em Geral

O fatídico ano do golpe, o ano de 2016

Primeiramente, ForaTemer.

Segundamente, pra que eu possa fazer um breve resumo do que foi 2016 preciso respirar fundo e revirar sentimentos que eu jamais pensei pudesse sentir dentro do meu país,  junto dos meus conterrâneos, amigos, irmãos. É que o ano de 2016 abalou sobremaneira tudo o que eu pensava sobre o país, seus cidadãos.. e pior: sobre as instituições e o Direito aplicado na terra que é de quase ninguém.

Preciso mencionar 2014, quando a já presidente Dilma ganha a reeleição e fere de morte o orgulho da oposição. Vale dizer que a campanha já foi tensa e nós aqui de casa já estávamos notando um crescente pensamento fascista e conservador nos votantes do eterno derrotado Aécio Neves. É óbvio que nem todos os eleitores do PSDB são, individualmente, fascistas malucos, mas – podes crer – a massa formada por estas pessoas é de um reacionarismo assustador.  Pois então, a campanha foi delicada e a presidente venceu (comemoramos aos gritos e ouvindo O baile do pó Royal – as crianças amaram!).

Os perdedores não deixariam por menos, já que são historicamente donos do poder e a ele simplesmente decidiram voltar; para isso, numa manobra rasteira, num acordão com as instituições que nos deveriam proteger, articularam a queda de Dilma, via um falso e demente impeachment.  Descobrimos neste momento os grandes traidores da democracia, apoiados justamente – pelo menos em grandíssima parte – pelos eleitores do candidato suplantado. O ano de 2015 foi preocupante, mas ali ainda eu acreditava na Justiça. Ainda naquele momento eu cria nas pessoas que estavam nomeadas e empossadas como defensoras da Constituição.

2016 foi diferente. A cada dia um sopapo e um hematoma diferente. A cada dia fatos consternantes doeram no peito. Pela primeira vez senti dor física ao ver a perseguição política tomando forma e ao perceber o retrocesso ao qual chegaríamos. No dia 17 de abril de 2016 presenciamos a escória política dando início ao processo. Reunidos em família – alguns de vermelho – vimos um bando de sem-vergonhas admitir formalmente o processo de impeachment. A sessão política seguiu noite adentro, sendo interessante lembrar que a maior rede golpista (Globo, vulgo Globosta) dedicou toda sua programação a televisionar protestos contra o governo.  Neste dia de tragédia mais que anunciada houve mais conflitos e bate-bocas familiares.

Uma parcela da população não se conformou – e não se conforma – com o golpe e foi pra rua.

Fotos de quando participamos de um protesto do MST pelo centro de BH, subindo a rua da Bahia e chegando até a Praça da Liberdade – 01/05/2016.

Infelizmente, em 12 de maio de 2016 o Senado decide manter o processo de impeachment e afasta provisoriamente a presidente Dilma, que fez uma peregrinação pelo país e recebeu suporte de seus eleitores.

.   

As 3 últimas fotos são de uma manifestação de apoio ao governo – dia 20 de maio de 2016, dia em que Dilma esteve em um encontro no Othon Palace de Belo Horizonte (Faculdade de Direito e Avenida Afonso Pena).

Foto tirada no dia 20 de maio de 2016, por um jornalista, de dentro do hotel.

Me entristeceu muito que os protestos e manifestações de apoio foram se arrefecendo ao longo das semanas; parece-me que o abalo do afastamento e a certeza da queda nos fizeram calar definitivamente. O golpe, enfim, foi muito bem orquestrado e o povo, mais uma vez, muito aos moldes de 64, se deixou cair.

Os dias, semanas e meses se passaram e o fajuto impeachment pôs abaixo o mandato legítimo de Dilma, assumindo a presidência o traidor Michel Temer: traidor não só de Dilma, mas traidor do povo que havia colocado os planos de governo  do PT em pauta. Enfim, é sim com muita tristeza que me lembrarei de 2016. Pelo menos neste campo da política, já que não posso me queixar dos demais aspectos de minha vida. Todo o resto foi muito bem, ainda bem. E por isso sou bastante agradecida. Não sei bem a quê ou a quem sou agradecida. Mas sou.

Muito interessante, aqui você encontra a cronologia do golpe.

Um feliz 2017 pra nós. Que o povo encontre forças, sabedoria e coragem para trazer o Brasil de volta aos trilhos da democracia.

 

1 comentário

1 comentário até agora

  1. Em Geral » Tchau, querida democracia Maio 14th, 2017 11:17

    […] fiquei realmente feliz e me senti amparada (o ano de 2016 não foi mole, galera!) quando tomei conhecimento que o professor Leonardo Isaac Yarochewsky dava guarida às minhas […]

Leave a reply