Décimo sexto dia de quarentena

Olha, se tem uma coisa chata dessa quarentena é que precisamos higienizar todos os alimentos e produtos que entram dentro de casa. Como estamos pedindo para o sacolão trazer a mercadoria praticamente uma vez por semana, chega muita coisa de uma vez e o trabalho é chato.

Na rotina normal eu vou umas 2 ou 3 vezes por semana no sacolão, então compro na medida que preciso, tenho sempre folhas frescas etc. Agora a gente espera a geladeira esvaziar um pouco e manda o pedido para o sacolão, via WhatsApp.

Então, lavo tudo o que pode ser lavado com água e sabão e frutas e legumes mais miúdos – ou folhas – eu coloco em solução de hipoclorito.

Quando são mercadorias de mercado, também lavo tudo o que dá e farinhas e biscoitos eu já tiro da embalagem, que jogo fora. É um saco, viu, pode apostar.

Só há uma vantagem nisso: depois de tudo limpo e seco, fica aquela belezura na cozinha, porque ô coisa bonita é a compra de sacolão. Colorida, diversa em forma e cheiros.

Também compramos algumas polpas de frutas para lidar com um eventual momento sem fruta fresca. Tenho tentado cuidar da alimentação de todos; praticamente não há guloseimas aqui em casa. É a forma pela qual consigo lidar com as tentações; afasto-as de mim e da galera aqui.

As guloseimas até agora ficaram por conta de bolos caseiros, boas geléias de frutas e biscoitos como o da foto inicial, que fiz de banana, aveia, um pouco de farinha de trigo, manteiga, canela, um pouco de mascavo, pimenta síria, noz moscada e uma pitada de sal. Um docinho para alegrar o dia: um docinho saudável. 🙂

Deixe uma resposta