Em Geral

Chile – conhecendo Santiago

Mercado de Santiago

Bairro Bela Vista

Bom, no segundo dia, saí­mos do Hotel Residencial Londres e fomos para o Hotel Paris, onde ficamos alguns dias, mas este estabelecimento é totalmente desaconselhado por nós. Depois explico o porquê.
Enfim, nos dias seguintes fizemos alguns passeios tradicionais: conhecemos o Serro Santa Lucia, o Mercado Central, outros bairros da cidade, como o Providência e o Bela Vista e o Serro São Cristóvão, que abriga um zoológico bem legal.

Da base do serro até o topo você pode subir de funicular – uma espécie de bondinho – mas não sem antes parar no meio do caminho, no zoológico, e dar uma olhada em alguns animais bem bacanas, como a pantera negra e o urso polar. Você também pode entrar dentro de um viveiro gigante; a experiência é bem legal.

Depois, já no alto do São Cristóvão, descemos de bondinho (quase 20 minutos de descida) e demos mais um rolé no bairro Providência. Não me esqueço do mote com huesillos que experimentamos no alto do São Cristóvão.


Santiago é uma metrópole interessante. Limpa, tem um excelente metrô, comida gostosa, passa sensação de segurança, tem de tudo o que você imaginar no quesito comércio, as pessoas são educadas, gentis com os turistas e fazem questão de, pelo menos, tentar te entender se você fala aquele portunholzinho mal-acabado.

O centro é bem legal também; há muitos cafés – inclusive uns meio esquisitos, estilão prostí­bulo, dentro de umas galerias. Não confundir com os tradicionais cafés con piernas, onde umas mocinhas em vestidinhos bem curtos te atendem sorridentes. Nestes nós fomos algumas vezes; naqueles, apesar da curiosidade, não.

Bom, depois de rodarmos muito í  pé e de metrô, resolvemos alugar um carro pra dar umas voltinhas pelos arredores de Santiago.

Sair da versão mobile