um blog sobre todas as coisas em geral

Mês: abril 2013 Page 1 of 2

Pamonha de forno light

É só bater no liquidificador:
  • 2 latas de milho verde (sem a água)
  • 1 garrafinha (200ml) de leite de coco light
  • 2/3 de Tal e Qual (adoçante de Fôrno e Fogão)
  • 4 ovos
  • 25g (meio pacote) de queijo parmesão ralado
  • 4 colheres (sopa) de farinha de trigo
Após bater bem, junte, ainda no liquidificador, 1 colher (sopa) de fermento em pó e bata só para misturar.
Despeje a mistura em um recipiente untado e enfarinhado. Leve para assar em forno pré-aquecido em 200º até dourar. Gostoso, mas não chega aos pés da gordinha Pamonha de Forno!!

Maravilhosa pamonha de forno

Bolo de pamonha

Maravilhosa, perfeita.

É só bater no liquidificador:
  • 2 latas de milho verde (sem a água)
  • 1 garrafinha (200ml) de leite de coco
  • 2 xí­caras de açúcar de 180 ml
  • 4 ovos
  • 25g (meio pacote) de queijo parmesão ralado
  • 4 colheres (sopa) de farinha de trigo
Após bater bem, junte, ainda no liquidificador, 1 colher (sopa) de fermento em pó e bata só para misturar. Despeje a mistura em um recipiente untado e enfarinhado. Leve para assar em forno pré-aquecido em 200º até dourar porque cada forno tem seu tempo. Receita vinda do ótimo Panelaterapia!

Mutante!

Não entendeu?

Você ainda não começou a assistir a Breaking Bad?

 

Araticum

foto 2

foto 3

Meu pai chamava esta fruta do cerrado brasileiro de araticum, araticum-cagão ou cabeça de nêgo. Trazia para casa umas enormes, cheirosas, suculentas. E “de vez em sempre” resolvia fazer doce delas.

Cuidadosamente separava gomo por gomo, lavava tudo, raspava a areia que fica entre a polpa e a casa. Depois coava a água da lavação em pano próprio e com ela mesmo fazia uma calda translúcida.

Os gomos eram deitados na calda e ferviam até cozinhar. A casa toda rescendia a araticum e era ní­tido quem, naquela hora, pilotava o fogão.

Muito gostosa a fruta, muito gostoso o doce dela. Daqueles de famí­lia, outro cheirinho de infância.

Noturno, A queda e Noite Eterna

A queda

Depois de Noturno, acabei A queda e Noite Eterna, os outros dois livros da trilogia  da escuridão de Guilhermo del Toro e Chuck Hogan.

Noturno é interessante. Desde que o conhecemos, vimos que tratava-se de um livro feito para virar filme. A história é a primeira da trilogia de terror que trata do tema dos vampiros e de como eles estão conseguindo tomar conta do planeta. O texto é  bem dinâmico. Um verdadeiro e merecido best-seller que nos deixa curiosos do iní­cio ao fim. Diversão garantida com uma abordagem contemporânea bem interessante de um tema  fácil de virar cliché.  Nas mãos deles não virou, ainda bem.

Veja o book-trailer de Noturno.

A queda e Noite Eterna pecam um pouco. Aparecem os clichês, fica tudo bem repetitivo e o fechamento da trama é  bem bobinho. Não quero dar spoilers. Nós (eu e Ele) apenas achamos que estes autores poderiam ter sido mais criativos em relação ao surgimento dos seres vampirescos.

🙂

Mas tudo bem. Trilogia lida e devidamente passada para frente.

Panqueca de Rap 10

Panqueca de Rap10 (3) Panqueca de Rap10 (4) Panqueca de Rap10 (5)

Não sei mais de onde tirei esta receita, mas é bem interessante para aqueles dias em que você quer fazer uma “gracinha” na cozinha e não tem quase nada em casa. Bom, neste caso especí­fico você vai ter que ter um daqueles pacotes de Rap 10, já viu nos supermercados? Vai precisar também de molho de tomates, creme de leite, queijo e algo que sirva de recheio para as panquecas.

Pois então: é super facinho. Faça um creme de molho de tomate com creme de leite, forre um refratário e nele vá colocando os  rolinhos de Rap 10 feitos com seus ingredientes preferidos. Eu usei, como podem ver, presunto, queijo, milho e requeijão, mas quem manda neste quesito é sua imaginação. Use o que quiser, o que tiver em mãos. O importante é usar um bom molho de tomates e ter queijo para por por cima de tudo!!

Depois de feitos os rolinhos, cubra com mais molho e queijo e leve para gratinar.

Não guardei as quantidades dos ingredientes, mas não tem erro não. Pode fazer tudo no olhômetro que vai dar certo.

A facilidade do prato está aí­, em ser bem rápido no forno. Você monta tudo em 15 minutinhos e gratina em 10. Em 30 minutos você tem um prato gostosinho e vistoso. Sirva com arroz e salada verde!

Biju Рa iguaria dos sinais de tr̢nsito

Biju (4)

Biju (1)

Não sei como é em sua cidade, mas aqui em Belo Horizonte ainda encontramos vários vendedores de bijus nos sinais de trânsito.

Eu adoro. Porquê eles tem cheirinho de infância. Meu pai sempre trazia uns pacotinhos quando encontrava. E a gente devorava tudo rapidinho, naquela gulodice só.

O sabor levemente adocicado e sua textura fina, delicada, me deixa encantada. Quando meus meninos estiverem maiorzinhos, comendo açúcar (moderadamente), farei com que provem. Tenho certeza que vão gostar.

A propósito, procurando pela net, quase não achei material sobre estes bijus. Espero que este quitutezinho tradicional não desapareça tão cedo.

Dúvida do que fazer para o almoço? Asse legumes!

foto (3) foto (4)

Algumas opções:

  • Beringela/berinjela com azeite e orégano;
  • Batata, abobrinha e abóbora vermelha com suco de laranja e alecrim;
  • Abóbora vermelha e batata-doce branca e roxa com manteiga e gengibre raladinho.

Acrescente aí­ arroz, feijão, carne magra e um prato de verduras. Excelentes ideias para o dia-a-dia.

Mais abóbora assada com creme de azeitonas secas

Fiz novamente a abóbora assada no creme de azeitonas secas. E desta vez ainda juntei mais azeitonas ao forno, para assar junto. Delí­cia, delí­cia, delí­cia.

Receita aqui no blog Emgeral e em sua origem, no MenuVegano.

Quem vê entende!

Doctor Who

Page 1 of 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén