O Processo, de Kafka

Também li O Processo, de Kafka, durante minha recuperação. E esta leitura foi, pra mim, tão difícil e complicada quanto a leitura de A Metamorfose.

O Processo, confesso, achei ainda mais difícil de digerir. O livro é absurdo e distópico, sendo que a realidade na qual o personagem Josef K. está imerso é claustrofóbica. Há uma série de surpresas surreais, geradas por uma realidade inacessível. Josef K., o protagonista, desorienta-se diante do absurdo das situações, trazendo ao leitor – como não? – o mal-estar típico das obras de Kafka.

Josef K. nunca é informado por que motivos está sofrendo o processo e isto é angustiante. O texto é atual e provoca questionamentos acerca dos costumes e crenças arbitrários, que podem ser, sim, bizarros quanto os acontecimentos da vida de K.

Kafka não é meu autor preferido, mas penso que ele é necessário.

Deixe uma resposta