Em Geral

Um blog sobre todas as coisas Em Geral

Amor de cão, de Marjorie Garber

Há  poucos anos li o livro Amor de Cão, de Marjorie Garber, e sempre me esqueço de escrever a respeito. Hoje, arrumando umas coisas, achei umas anotações. O livro é interessante, apesar de monótono em alguns capítulos.

Citar trechos de livros não é o objetivo deste blog, mas há certas partes da obra de Marjorie que nos fazem refletir profundamente e, por isso, tomo a liberdade de transcrevê-las aqui. Por exemplo, quando a autora se questiona de quem é a vida do cão, cita Laika, a famosa “astronauta”:

“Em novembro de 1957, Laika, uma cadela mestiça de tamanho médio, tornou-se a primeira criatura terrestre viva a viajar no espaço. Fotografias de sua cara sorridente em um arreio que parecia um capacete e da rede de fios que monitoravam suas respostas apareceram nos jornais do mundo todo e milhões de votos de felicidades acompanharam sua jornada na Sputinik 2. Logo ficou claro, no entanto, que ela não iria voltar.

Laika latiu, flutuou sem peso no espaço, comeu alimentos que tirava da máquina e, depois de uma semana, quando o ar da cabine se esgotou, morreu.”

Em outro momento, faz uma digressão histórica a respeito da responsabilidade penal canina, relatando-nos o seguinte e absurdo caso:

“Quatrocentos anos atrás, em 1595, na cidade de Leiden, um cachorro mordeu uma criança com tamanha gravidade que ela morreu. O cão foi condenado à forca e seu corpo ‘arrastado numa carroça até o local do patíbulo’ onde deveria ‘permanecer pendurado no cadafalso a fim de intimidar todos os outros cachorros’. A ata do tribunal garantia aos leitores que a condenação ‘originou-se da confissão do próprio prisioneiro, feita por ele sem o uso de tortura ou grilhões de ferro’.

O livro de Marjorie Garber tem partes bem curiosas. Em um de seus capítulos, explica que nosso envolvimento com os cães é basicamente cultural, o que significa que os porcos bem poderiam fazer as vezes dos peludos. E não duvide, porque eu mesma conheço quem tem uma porquinha tão inteligente como nossos cachorros – e tão carismática e adorável que se livrou definitivamente da panela.

A propósito, sobre os galgos, utilizados em corridas de competição nos EUA,  são, segundo o livro, bastante judiados; se não vencem, são maltratados e, como são marcados como gado, tem partes do corpo mutiladas para quando forem abandonados não terem suas origens identificadas.

O lado bom da coisa é que existem alguns grupos de resgate que se mantêm ocupados encontrando novos lares para os corredores abandonados e os cães que sequer conseguiram chegar às pistas.

Outro ponto do livro que causa certa aversão é a que nos lembra que na China, Coréia e algumas outras localidades mundo afora, a carne de cão é bastante apreciada. O que é interessante é a fala de um local:

“Sim, ainda estamos comendo cachorros na China. Qual é o problema?, escreveu James Piao, que viveu nos EUA por sete anos, para o The New York Times. “A América foi um país perfeito pra mim, exceto por uma coisa: eu sentia falta da carne de cachorro que tinha em casa”. Piao tinha curiosidade em saber porque os americanos, tão ávidos no consumo de carne bovina, estabeleciam uma diferença tão radical entre um animal e outro. “Uma espécie animal desfruta mais direitos do que outra?”, perguntava. ‘Não sinto vergonha de comer cachorro. Tenho uma cor de pele diferente. Falo uma língua diferente e venho de uma cultura diferente”.”

No Vietnã ainda comem carne de cachorro, considerado um animal inútil, de manutenção cara. De fato, num país endurecido pela guerra e pela fome, o cão será o primeiro a ser sacrificado. Coréia e Filipinas também mantém fazendas de cães em territórios isolados.

É uma pena, mas os cães não são apenas cultuados ou degustados, mas também, em algumas partes do mundo, aviltados como símbolos de tudo o que é sujo e degradante.

Finalizando, citei algumas partes do livro que me marcaram, mas a obra não é um poço de tragédias. Pelo contrário, como se pode verificar pelos links que adicionei, cita e explica aspectos fantásticos do relacionamento homem/animal, relata sobre a vida de cães célebres e mostra, acima de tudo, detalhadamente, como a existência destas criaturas pode nos fazer muito, mas muito mais felizes.

Recomendo a leitura.

3 comentários

3 comentários até agora

  1. elaine outubro 31st, 2008 17:11

    OLA AMIGOS.
    GOSTARIA DE SABER SE VOCES AINDA TEM O GUIA O VIAJANTE CHILE — estou atras deste guia mas nao to achando e como estou planejando minha viagem agora em janeiro para o Chile creio que me ajudaria muito…. Se quiserem vender façam o preço.. estou em SP.

    um abraço,

    Elaine Gomes

  2. Ela novembro 12th, 2008 23:10

    Oi Elaine,

    Vamos dar um jeitinho. Depois nos conte sobre a viagem!!
    Abraços, Ela

  3. Em Geral » Presentes bacanas Março 12th, 2009 17:59

    […] para comprar… Entretanto, foi justamente esta dificuldade em comprar o guia que fez com que uma leitora de nosso blog nos procurasse em busca de uma cópia. De imediato nos prontificamos a ajudá-la. […]

Leave a reply